Nalzira Borba de Medeiros – (avó materno)

Conheça também…

Biografia

Nasceu em 09 de setembro de 1930, na cidade de São Francisco do Sul, o local exato provável que seja atrás da Rodoviária Velha, Centro.

Nalzira (Querida Vó)

Família Numerosa

Foi a número seis dos dezesseis filhos do casal José Francisco de Borba e Fermina Custodia Pacheco, sendo a primeira dos filhos a nascer na cidade de São Francisco do Sul.

0005.jpg
Seus pais José Francisco de Borba e Fermina Custódia Mafra Pacheco.

Origem muito pobre, seu pai trabalhava como estivador no Porto de São Francisco do Sul, e sua mãe muito caseira ficava em casa para manter a ordem e de todos seus filhos. Desde pequena já sabia que a vida não seria fácil, além na ajuda em casa, manter a limpeza e organização, também incluía em suas tarefas diária era cuidar de seus irmãos mais novos principalmente de Ivo e Antonio conhecido como Doca, que até hoje a consideram como sua segunda mãe.

36407253_10209826518374300_570714055996604416_n
Casamento de Ivo e Itália de Borba. (Esquerda para Direita)
Rosa, Carmelina, Italila (eposa do Ivo), Ivo, Antonio-Doca, Ademar, Nalzira e Thereza.

               Quando criança foi uma menina de poucas brincadeiras, mas muita dedicação e compromisso em ajudar junto com sua mãe a cuidar da casa.

Irmãos -Carmelina(E), Nalzira(E), Thereza(C), Rosa(D) e Ivo(D).

Namoro e Casamento              

Com a adolescência chegando, e as paquerinhas surgindo, menina de poucas palavras conheceu seu vizinho Jacinto, filho de Bernardo Marques de Medeiros e Maria Rosa Maciel, também nascidos e criados em São Francisco do Sul, moravam todos os no Bairro de Paulas, suas casas eram praticamente uma frente a outra.

               Aos 15 anos como a mãe de Jacinto (Maria Rosa), ficava muito doente com facilidade e Nalzira, com de bom coração começava a cuidar, até que um dia veio o pedido de casamento do Jacinto:

               Jacinto: – você casa comigo?

20374510_10207824074074444_418241024033550403_n
Bodas de Prata do Casal Nalzira com seu esposo Jacinto. Ano 1971.

               Tinha apenas 15 anos quando casou, mas naquele tempo a idade naquele tempo não fazia diferença. Foram acrescentados 3 anos em seus documentos, passando de 15 para 18 anos, e assim realizando casório com permissão do padre da época. Seu casamento na Igreja Matriz de Nossa senhora da Graça de São Francisco do Sul e aconteceu no dia 2 de janeiro de 1946.

               Moravam de seus sogros, e neste local nasceram seus primogênitos: Adenir  e Adenor e após três anos nasceu o Haroldo. A principio o objetivo do casal era que seus filhos todos começassem com a letra A, mas o Haroldo escreveram com H e erro do escrivão do cartório.

               Mais tarde nasceu uma menina Maria Angela (conhecida como Anjinha) e mais dois anos nasceu José Bernardo conhecido como (Nene),  que como homenagem recebeu nome de seus avos José e Bernardo.

               Sua ultima filha nasceu a Cecilia Terezinha conhecida com (Terezinha), nome de duas santas e padroeiras da cidade.

Adotaram a menina chamada Emiliene de São Francisco do sul, menina de origem pobre que conquistou logo de imediato o coração do casal.

Netos de Nalzira.

Relação de Filhos, genros/noras e netos do casal.

  1. Adenir de Medeiros   * 28/07/1946 -SFS/SC casada com Antonio da Rocha
  • 1.1. Rejane
  • 1.2. Reginaldo
  • 1.3. Robson
  • 1.4. Roberta

2. Adenor de Medeiros   * 25/10/1947 -SFS/SC e Renilda Ramos

  • 2.1. Juliana

3. Haroldo de Medeiros   * 21/05/1948 -SFS/SC casado com Juraci Ramos

  • 3.1. Alessandro
  • 3.2. Debora
  • 3.3. Alexandre
  • 3.4. Dayane

4. Maria Angela de Medeiros     * 16/06/1950 -SFS/SC casada com Ediberto Secco

  • 4.1.Andre
  • 4.2. Elaine
  • 4.3. Eduardo

5. José Bernardo de Medeiros   * 29/12/1956-SFS/SC † 11/08/2016 -Joinville/SC-59 anos. Casou-se com Maria Leontina

  • 5.1. Michele
  • 5.2. Felipe

6. Cecilia Terezinha de Medeiros* 24/08/1958-SFS/SC casada comVilson Hinsching

  • 6.1. Francine
  • 6.2. Fernando 

7. Emilene de Medeiros casou-se com Julio da Silva.

  • 7.1 Ana Carolina
  • 7.2. Heloisa
  • 7.3. Heitor

Mãe e Esposa Dedicada

Seu esposo já trabalha no Porto de São Francisco do Sul, e moravam na rua 10 em São Francisco do Sul, e alguns anos em Joinville, se mudando diversas vezes. Terrestre como profissão o Jacinto, trabalha no porto em terra, e era de manuseio de cargas nos armazéns, amarrar e transportar para os trens e caminhões. Trabalhava-se muito para ganhar o sustento da família, e somente aos finais de semana poderia ver sua família.

              Em casa sempre foi muito cheia, recebendo muitas visitas e sempre sendo um lar para todos inclusive os sobrinhos que vieram moram junto já em Joinville. Mulher de pulso firme, tinha poucas palavras e quando não se tinha a resposta, a havaiana rolava.

           Educação sempre foi presente e ela sempre manteve contato direto com seu esposo em São Francisco do Sul. Quando ele não podia vir para Joinville, era ela que ia até ele, pegando o primeiro Trem que partia de Joinville para São Francisco do Sul e passava a ficha de cada filho e dos sobrinhos que também moravam para que o jacinto tomasse a decisão final, sobre o ocorrido em casa. Jacinto sempre sabia de tudo que acontecia na casa. Exemplo de transparência do casal.

               Com filhos foram casando, seus primeiros netos começaram a chegar, Rejane foi a primeira e depois Reginaldo e Robson. Tiveram ao total 16 netos e mais de 15 bisnetos.

Seu esposo a chamava de “carreirinha”, porque sempre dizia que ia num pé e voltava no outro. Essas suas escapas foi sempre para visitar seus netos, que ela e seu esposo eram verdadeiros avos babões para todos.

Mulher fiel à Deus              

Nasceu católica e conheceu a igreja do evangelho quadrangular no qual, ela e seu esposo começaram a participar primeiro no bairro Itaum e depois ajudaram a construir a Igreja do Evangelho Quandragular. Na igreja foi uma mulher dedicada com orações, cantos, venda de salgadinhos para arrecadar dinheiro para ajudar na obra.

 Apos quarenta anos de casados, faleceu seu esposo Jacinto, vitima de câncer. Um momento muito triste porque ela também estava com câncer de útero e foi curada com a graça de deus. Não se abateu ao ficar sozinha, sempre realizava visitas constantes para seus filhos e netos, muitos no qual ajudou a educar.

Mulher forte nas orações, orava em línguas, e na igreja tinha o respeito de todos os pastores, um grande de pilastre forte e fiel a Deus. Apesar de ser evangélica, e seus filhos foram católicos nunca houve discussão de religião mas sim o amor que tinha com Deus e exemplo a ser seguido como pessoa. Participou do inicio da construção da Igreja Envagélico Quadrangular.

Partida

Faleceu no dia 03 de julho de 2015 aos 84 anos, uma pessoa que posso dizer que foi uma grande guerreira e um exemplo como pessoa e bondade no coração com todos em sua volta.

Ensinamento… acreditar amor ao próximo, ser fiel a Deus que encontrará sempre um refugio e ser sempre humilde.

Nalzira Borba de Medeiros

Deixo a minha homenagem a essa mulher fantástica que viveu cada segundo como fosse seu último.

Anúncios

4 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s