Secos e Molhados – Willy Schossland e Sr. Borbinha – São Francisco do Sul

O predio tem como localização era na Rua Babitonga na construção ao lado de onde hoje em dia funciona o Restaurante e Pizzaria Açoriano.

Conheça também…

História

O ano da inauguração foi inicio do século XX e tinha como objetivo atender com venda de mercadorias para comunidade e região assim como realizar atendimentos aos navios que chegavam que aportam em São Francisco do Sul para a compra de mantimentos.

Nossa história começa Sr. “Borbinha”- FERNANDO DE BORBA. Filho de João Francisco de Borba Coelho e Maria Luiza Gonçalves Barros, nascido em São Francisco do Sul em 10 de fevereiro de 1922, comecou sua vida de comerciante desde cedo, fazendo venda de café de manhã e a tarde limonada aos estivadores do Porto.

41992036_2210944972271194_982425639556481024_o
Foto Acima. Familia Sr. Borbinha ( Esquerda para Direita) -Thelma, Nilza, Fernando de Borba(pai), Nilvalda de Borba(mãe), Pericles, Valeria e a criança Rita.

Após alguns anos, começou a trabalhar na casa de Willy Scholsland, como entregador de compras passando com sua esperteza para atendimento no balcão(balconista). Estudava as noites com caneta de pena, luz de lampião fazendo toda a contabilidade da empresa do Sr Willy. Com o tempo foi adquirindo confiança e passou a gerenciar a empresa.

Sr. Willy, inciou um processo de venda do comércio, pediu para que Fernando de Borba (Borbinha), pudesse assumir, continuar com as vendas. Fernando, não tinha dinheiro na época, e desta forma pediu sociedade aos amigos Dorival Correa e Erick Bach para realizar a compra. Com a sociedade feita, a loja de Secos e Molhados, permaneceu com o mesmo nome Casa Willy Schossland – em respeito ao antigo patrão e manter os clientes – no ano de 1949.  A empresa em diante abriu novos empregos e aumentou suas vendas.

14612437_1265504610166938_7773344259687640644_o
Foto acima: Interior da Antiga Loja. Sr. Willy Schossland ( de Gravata) e o Sr. Dorival Corrêa (ao lado da balança), A esquerda Sr. Borbinha(Fernando de Borba) e Erich Bach nas escadas.

Com o passar do tempo, os filhos mais velhos dos sócios, começaram a trabalhar no balcão e depois foram abrindo filiais em Itajaí, fornecendo mantimentos aos navios que chegaram no porto de SFS. As mercadorias eram trazidas das regiões próximas de Joinville, Jaraguá do Sul, Guaramirim e demais cidades. Fernando também realizava gerência das lavadeiras, que moravam nas localidades próximas, na prestação de serviços de lavagem de roupas dos marinheiros e comandantes.

               Fernando pediu a dissolução da sociedade devido o trabalho excessivo que realizava na empresa como: compra de mercadoria nas regiões, contabilidade, publicidade e comunicação de vendas, travessia juntos ao pratico para a subida nos navios para negociar a lista de compras.

               Em 1959, houve a dissolução da sociedade da Casa Willy Schossland e cada socio adquiriu um novo empreendimento. Fernando comprou a esquina da Rua Anita Guaribaldi com a rua Fernandes Dias (Largo 13 de maio) e abriu o Secos e Molhados – Casa Borba.  Erich comprou o Hotel e Correa ficou no mesmo prédio que estava a Casa Willy permanecendo com um restaurante e lanchonete.

loja1
Foto do ano de 1929, na antiga Rua Babitonga, localizaçao da loja Secos e Molhados Willy Schossland.
Anúncios

2 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s