Invasão Espanhola – 1777 – São Francisco do Sul

Em 20 de fevereiro de 1777, a maior armada espanhola dirigida para uma guerra nas Américas, chegou a Enseada de Canasvieiras, em Florianópolis, e invadiu a Ilha de Santa Catarina, forçando a retirada das autoridades e parte das tropas para o lado do continente.

Conheça também…

História

A Espanha transportava cerca de 9.000 soldados para realizar a invasão a Ilha de Santa Catarina.

As tropas portuguesas-brasileiras foram rendidas de forma humilhante. Houve fuga das autoridades portuguesas em direção ao Rio de Janeiro e outros lugares. O objetivo de dominar a Ilha evidenciou-se com a presença de inúmeros sacerdotes que, acompanhando a expedição, distribuíram-se pelas freguesias da Ilha.

Na Ilha de São Francisco do Sul, o então Capitão-Mor Antonio Tavares de Miranda, filho de Cap. Sebastião Fernandes Camacho(o moço) – meu 7 avô, também irmão de Clara Fernandes –  trisavó de minha trisavó (minha hexavó – 6 avô) – retirou-se as pressas da Ilha de São Francisco do Sul, fugindo para longe da invasão. Porém foi contestado pelo o Alferes José Gomes de Oliveira sobre tal atitude, e decidiu voltar novamente a Vila de São Francisco do Sul e criando barreiras no forte da praia de Laranjeiras para um possível ataque.

A ação Alferes José Gomes de Oliveira Galhardo:

Almanach de Lembranc̜as Luso-Brazileiro para o anno de 1870, página 134
Em 1777 outro capitão mór, cujo nome não tenho presente, atterrado pela noticia inesperada da invasão hespanhola, em vez de defender a ilha que lhe fôra confiada, convocou o povo, e dispol-o a fugir com elle; em caminho encontrou o alferes José Gomes de Oliveira Galhardo, que exprebando-lhe semelhante acto de covardia arengou ao povo e conseguiu voltar com este á villa, onde se preparou para a defeza. O bom do capitão-mór continuou a andar até o cume do morro das Larangeiras, que demora algumas milhas ao sul da villa, donde a vista alcança um raio de 15 leguas, e ahi tratou de fortificar-se. O trabalho insano exhauriu-lhe as forças, e quando foi chamado pelo vice-rei a responder a conselho de guerra, que lhe devia ser bem rigoroso, já estava na eternidade.

O Arcypreste Joaquim Gomes d’Oliveira Paiva
(Santa Catharina — Brazil).

Sorte do Capitão-Mor

A sorte realmente estava ao lado do Capitão-Mor Antonio Tavares de Miranda, que no mesmo ano , Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Santo Ildefonso.O acordado do contrato foi que Portugal receberia novamente de volta a Ilha de Santa Catarina e  com quase todo estado do Rio Grande do Sul e a Espanha recebeu a Colônia do Sacramento e o território das Missões. Com respeito à Ilha, o governo português se comprometia a não utilizá-la como base naval nem por embarcações de guerra ou de comércio estrangeiros.

Portanto a Ilha de São Francisco de Sul não participou efetivamente da Guerra com os espanhóis no ano de 1777, mas acredita-se que a fortificação na praia das Laranjeiras puderam realizar a sua própria defesa, de futuras invasões.

Fonte

Anúncios

2 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s