Henrique Dumont – Engenheiro, Cafeicultor e pai Albert Santos Dumont

Henrique Dumont foi o pai de Alberto Santos Dumont(pai da aviação), engenheiro e cafeicultor brasileiro. Era filho de imigrantes franceses, é considerado um dos três reis do café da sua época, introduzindo métodos modernos na cafeicultura.

Henrique Dumont

Conheça também…

Biografia

Nasceu na cidade de Diamantina em Minas Gerais 20 de julho de 1832 e e faleceu no dia 30 de agosto de 1892 na cidade do Rio de Janeiro aos 60 anos.


Estudou no Rio de Janeiro dos 8 aos 14 anos, no colégio D. Pedro deAlcântara. Em 1846, quando completou 14 anos foi para a França, com seu padrinho o Sr Fernando Meirot, (que tambem era comprador de pedras e na oportunidade levava para lá o “Estrela do Sul”, que foi vendida a um Rajá, na Exposição do Palácio de Cristal de Londres, em 1851, por 250 mil esterlinos, para colocar em sua corôa). Em Paris, ele foi morar na casa de Marie Coeuré, em Sevres, irmã de sua mãe.Frequentou os Liceus Charlemagne e Saint Barbe, se formando em engenhariaem 1853 na École Central des Arts et Métiers, brilhantemente e com distinção.

Genealogia

Seus avós paternos eram Pierre Dumont e Catherine Lege, acredito que nasceram na França(Paris). Tiveram um filho chamado François Dumont.


Seus avós maternos eram Noël Theóphile Orianne e Marie Louise Honorine Foullon de Grand Champ ambos nascidos em Parris na França. Tiveram uma filha : Eufhrazie Françoise Honorée. Noël era um ourives, tinha uma loja que compra e vende metais preciosos(ouro) na cidade de Paris(França).

Pais

(Pai) François Dumont nascido na França no ano de 1807 com 42 anos a cerca do ano 1848.



(Mãe) Eufhrazie Françoise Honorée (mãe de Henrique) nascida na França no dia 07 de julho de 1808 e faleceu aos 45 anos, cerca do ano de 1853.

Eufhrazie Françoise Honorée (mãe de Henrique)

Família Imigra para o Brasil

Casaram-se em 1829 na França e estimulado pelo seu sogro Noël, convenceu o genro François, a vir para o Brasil a procura de pedras preciosas, que alimentariam sua indústria. No Brasil o casal teve quatrofilhos, sendo que o segundo foi Henrique Dumont.

  • Felix Honoree Dumont – 1829
  • Henrique Honorée Dumont – 1832
  • Alexandre Honoree Dumont -1834
  • Victor Honorée Dumont – 1835

O pai de Henrique Dumont faleceu cedo. Ajudado por seu padrinho, formou-se engenheiro na Escola de Artes e Ofícios de Paris (o equivalente atual da Faculdade de Engenharia). Se formado com apenas 21 anos de idade, voltou ao Brasil e passou a prestar serviços à Prefeitura de Ouro Preto.

Casamento

Henrique Dumont casou com Francisca Santos, filha do Comendador Francisco da Paula Santos, em 6 de setembro de 1856, na Freguesia de Nossa Senhora do Pilar, em Ouro Preto.

Francisca de Paula Santos, filho Alberto Santos Dumont e Henrique Dumont.

Sua esposa Francisca tinha origem portuguesa. O pai de Francisca, Comendador Francisco da Paula Santos era um importante comerciante, dono de muitas propriedades na cidade de Vila Rica. Era ele filho do Dr. Joaquim José dos Santos, um médico, diplomado em 07 abril 1800, que veio para o Brasil na comitiva da Família Real Portuguesa, em 1808.

Henrique Dumont com seus filhos.

O casal tiveram sete filhos:

  • Henrique Santos Dumont
  • Maria Rosalina Santos Dumont
  • Virgínia Santos Dumont
  • Luís Santos Dumont
  • Gabriela Santos Dumont
  • Alberto Santos Dumont (pai da aviação)
  • Sofia Santos Dumont
  • Francisca Santos Dumont

“Vai para paris, o lugar mais perigoso para um rapaz. Vamos ver se você se faz homem; prefiro que não se faça doutor”.

Conselho do pai, Henrique Dumont, ao filho Alberto

Maria Rosalina , Virgínia e Gabriela casaram-se por coincidência, com três irmãos, respectivamente chamados Eduardo Villares, Guilherme Villares e Carlos Villares.

A partir da esquerda, Maria Rosalina, Virgínia, Gabriela, Santos Dumont, Francisca, Amália e seu marido Henrique Santos Dumont.

Madereiro Sabará

Por volta de 1860, em sociedade com seu sogro, Comendador Francisco de Paula Santos, construiram um bem organizado centro madeireiro em Sabará, a fim de suprir as necessidades de seus compromissos com o estaqueamento nas Minas de Morro Velho, agora substituindo a extração de ouro do leito dos rios, em vias de se esgotarem. A nova extração era constituída por estreitos cortes na terra, a céu aberto, alguns com centenas de metros de profundidade, dos quais necessitavam de solidíssimos esteios e contraventos com madeiras de seções adequadas e muito bem fixadas. Parte da mão de obra ainda era constituída por escravos. Usando seus conhecimentos de engenharia, fazia transportar rio acima o forte madeiramento que vinha das matas da Fazenda Jaguára, para o escoramento das minas, tendo sido forçado a dragar esses cem quilometros do rio das Velha.

Ponte Saldanha Marinho projetado pelo Henrique Dumont(Engenheiro responsável)

Porto Dumont

Construiu o Porto Dumont e foi à França buscar máquinas a vapor, que adaptou às barcaças, para o transporte dessas madeiras, organizando assim a primeira navegação fluvial importante no Brasil. As Minas de então de Morro Velho,que estavam substituindo a fonte ouro do leito dos rios, em vias de se esgotarem, eram constituídas por estreitos cortes de céu aberto, alguns com centenas de metros de profundidade, os quais necessitavam de solidíssimos esteios e contraventos com madeiras de seções adequadas e muito bem fixadas. Parte do pessoal que fazia os serviços braçais era constituído por escravos.


Pouco depois de 1870, um grande incêndio, cuja origem nunca foi apurada, destruiu o madeiramento das Minas de Morro Velho, as quais ruíram e ficaram cerradas por muitos anos, perdendo-se tudo. Diante de tal infortúnio, Henrique a par dos acontecimentos do mundo, notou que com a guerra civil nos Estados Unidos viria a faltar o algodão à Europa. Aproveitando suas terras e a disponibilidade de mão de obra escrava, despachou um amigo ao Egito com recursos suficientes para adquirir sementes para si e para vizinhos e iniciaram o plantio. Devido ao término da guerra e, voltando os USA a dominar o mercado, a empresa teve pouca duração. Resolveu então tomar a empreitada da construção do trecho da Estrada de Ferro da Serra da Mantiqueira, depois, Central do Brasil, na raiz da Serra Palmira.

Alberto Santos Dumont – Na infância, o mineiro lia livros de engenharia, projetava máquinas e construía pequenos balões de ar (Bob Thomas/Popperfoto/Getty Images)

Estrada de Ferro Central do Brasil

Em 1872, durante o Império de Dom Pedro II, Henrique assumiu a empreitada da construção do trecho da Estrada de Ferro Central do Brasil em Minas Gerais, na subida da Serra da Mantiqueira, tendo instalado seu canteiro de obras na localidade de Cabangu, próximo a cidade de Palmira, hoje Santos Dumont. Com o canteiro de obras fixado na localidade de Cabangu, a família se instalou em uma fazenda próxima; neste local, em 1873, nasceria no mesmo dia em que o pai completou 41 anos, o seu filho mais ilustre: Alberto Santos Dumont.

Estrada de Ferro Central do Brasil .

Plantio de Café

Após a ferrovia concluída, Henrique Dumont dedicou-se ao cultivo do café. Sai de Minas Gerais e vai para o município de Valença, no Rio de Janeiro; nesta região, seu filho Alberto Santos Dumont, foi batizado em batizado em 20 de fevereiro de 1877 na Paróquia de Santa Tereza, atual município de Rio das Flores.

Museu Casa de Cabangu, local onde Albert Santos Dumont nasceu na cidade de Santos Dumont em Minas Gerais. Foto: Márcio Mendonça

Buscando terras mais apropriadas ao cultivo do café, muda-se para Ribeirão Preto, em São Paulo, e instala-se na Fazenda Arindeuva. A sua nova fazenda progrediu muito, pois aí aplicou seus conhecimentos de engenharia e estimulou a produção com uma série de inovações. Chegou a ser a mais moderna da América do Sul, com cinco milhões de pés de café, 96 quilômetros de ferrovias e sete locomotivas.

A Família Dumont em foto à frente de sua mansão nos Campos Elísios, São Paulo.

Em 1883 foi inaugurado um ramal da Estrada de Ferro Mogiana até Ribeirão Preto, obtido por reivindicação de Henrique Dumont; este ramal foi fundamental para o escoamento da produção e para o desenvolvimento da região, trazendo centenas de imigrantes, principalmente italianos, que logo substituíram a mão-de-obra escrava.

Ajudou na criação do primeiro carro a gasolina junto com Henry Ford.

Henrique Santos Dumont e seu Peugeot.

Final de sua vida

Em 1890, caiu da charrete numa de suas fazendas e o acidente o deixou hemiplégico. Posteriormente, em 1891, em consequência do tratamento, vendeu suas fazendas e partiu para a Europa com sua família. Pouco antes de morrer, em 1891, Henrique emancipou os seus filhos menores e entregou a cada um sua parte na herança. Ao seu filho Alberto Santos Dumont teria dito “Desista de ser doutor, vá estudar mecânica“. Aos 60 anos, em 30 de Agosto de 1892, morre na cidade do Rio de Janeiro.

Refêrencias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s