Estação Ferroviária – Jaraguá do Sul

A partir de 1907 com a chegada da linha férrea em Jaraguá do Sul deu um grande impulso para a economia da então Colônia Jaraguá. A primeira Estação já estava em construção e foi inaugurada em 1909.

A bilheteria da estação de Jaraguá do Sul – sem data (Autor desconhecido).
Anúncios

Conheça também…

A locomotiva “Lauro Müller” conduzida pelo maquinista Moraes tinha o objetivo de testar o peso na ponte de madeira e chegou até a pequena estação telegráfica, local onde era feito o embarque, antes de a estação ferroviária ser construída, em 1909.

Estação Ferroviária de Jaraguá do Sul, Terminal de Passageiros em 1962. Fonte: Acervo de Ergon Arno Krepsky

Em julho do mesmo ano, as obras das estações de São Francisco do Sul, Joinville, Jaraguá do Sul e Hansa (Corupá) também foram concluídas. A ferrovia possibilitou ainda a viagem de Jaraguá a centros como Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, levando os passageiros com elegância considerável para a época.

Na estação de Jaraguá do Sul – provavelmente anos 1910 (Autor desconhecido).

O trem contribuiu muito com a cidade de Jaragua do Sul, de forma significativa para o desenvolvimento da colônia que cresceu ao redor da ferrovia.

Histórico da Linha

A estação antiga, provavelmente nos anos 1910. Foto do livro O Motor Elétrico, 2004

A linha do São Francisco teve o primeiro trecho entregue pela E. F. São Paulo-Rio Grande em 1906, ligando o porto de São Francisco (hoje do Sul) a Joinville. Em 1910, a linha foi prolongada até Hansa (Corupá), em 1913 até Tres Barras, e finalmente em 1917 atinge Porto União da Vitória, de onde deveria continuar até atingir Foa do Iguaçu, Este último trecho jamais foi construído. A linha se entronca com o Tronco Sul em Mafra e com a antiga Itararé-Uruguai em Porto União da Vitória. O último trem de passageiros, na verdade uma litorina diária, passou pelo trecho entre Corupá e São Francisco do Sul em janeiro de 1991. O trem misto que servia à linha já não existia desde 1985. Depois disso, apenas alguns trens a vapor turísticos da ABPF têm percorrido a linha, principalmente na região de Rio Negrinho. O trecho entre Mafra e Porto União esteve durante anos abandonado, tendo sido recuperado durante o ano de 2004, mas continua com o tráfego muito escasso. Já o trecho entre Mafra e São Francisco tem grande movimento de cargueiros da concessionária ALL.

Ralph Mennucci Giesbrecht

Prédio

A Estação Ferroviaria de Jaragua o Sul foi inaugurada em 1909 e anos mais tarde foi ampliado. Primeira ocasião devido ao crescimento da população e o aumento do envio de cargas, passou a não suportar mais a demanda e ficou sobrecarregado.

Antigo prédio da primeira Ferroviária de Jaraguá do Sul. Acervo desconhecido

O prefeito na época, tenente Leônidas Cabral Herbster, buscou a ajuda do interventor de Santa Catarina, Nereu Ramos, para que o apelo por uma nova estrutura chegasse até o Governo Federal.

A estação antiga em 1935. Foto Arthur Wischral

A partir de 1943, a nova Estação Ferroviária foi inaugurada, sendo um marco para a história da cidade. A antiga Estação, nessa época, foi transformada em um terminal de cargas.

A nova Estação Ferroviária não era apenas um terminal de passageiros e cargas: no entorno do prédio foi construída uma área de lazer, uma opção de divertimento e de interação social entre os cidadãos.

O prolongamento até o Mercado Público formou, junto com o atual Terminal Urbano, o Centro Histórico de Jaraguá do Sul. A Rua Independência foi alargada e tornou-se a Avenida Getúlio Vargas, com um forte comércio se estabelecendo em torno da Estação.

Era considerada um verdadeiro centro de informações, pois notícias de todo o Brasil chegavam através da ferrovia. O local também era um ponto de encontro da comunidade, em que vários cidadãos passavam o tempo observando a chegada e saída de pessoas, e os jovens utilizavam o espaço para se socializar e buscar namoros.

Apoio a Força Expedicionária Brasileira

A Estação Ferroviária também foi testemunha de importantes acontecimentos históricos, como a partida e a recepção dos pracinhas da Força Expedicionária Brasileira que lutaram na Segunda Guerra Mundial.

Foto da década de 1930 | Foto Arquivo Histórico

Litorina – Transporte de Pessoas

Entre os anos 1944 a 1991, a popular Litorina transportou pessoas entre Corupá e São Francisco do Sul diariamente e em diversos horários. Mas a construção de estradas, como a BR-280, e a popularização do transporte rodoviário, com mais opções de destinos, fez com que o transporte ferroviário de passageiros fosse abandonado no Vale do Itapocu.

Automotriz que funcionou ligando Jaraguá do Sul a São Francisco até janeiro de 1991, sendo desativada nessa data (Foto Carlos Roberto de Almeida em setembro de 1984).

Atualmente, apenas o transporte de cargas vindas do porto de São Francisco e do interior do Paraná passa pelos trilhos de Jaraguá do Sul. Em 1998, a Estação e o armazém de cargas foram tombados pela Fundação Catarinense de Cultura. Em 2005, a Fundação Cultural de Jaraguá do Sul adquiriu os dois prédios após longos anos de negociação.

O projeto de revitalização foi aprovado no Ministério da Cultura e os recursos para a obra foram captados através da Lei Rouanet. A revitalização do Centro Histórico de Jaraguá do Sul, finalizada em 2008, trouxe um novo ar para a área. O abandono e a deterioração deram lugar a um novo espaço, que conta com uma praça e um anfiteatro.

Acervo Arthur Wischral; revista Panorama, 1956; O Motor Elétrico, 2004; RVPSC: Relatórios anuais , 1918-55; RVPSC: Horário de Trens de Passageiros e Cargas, 1936; IBGE, 1960)

O armazém de cargas comporta a estrutura da Biblioteca Pública Rui Barbosa. O prédio do antigo terminal passou a receber o Museu da Paz, que contém peças alusivas a Segunda Guerra Mundial e a participação dos brasileiros no confronto.

Maria Fumaça

Os passeios de Maria Fumaça que aconteceram recentemente entre Jaraguá do Sul e Corupá fizeram as mais de 900 pessoas que participaram terem um gostinho de como eram antigamente, além de claro, causar a nostalgia nos que viveram aquela época.

Foto Arquivo Histórico

Em 1914 havia a exploração de cargas e passageiros, numa linha servida por 11 locomotivas, com o total de 612 vagões, sendo 48 de passageiros, dois dos correios, 50 para animais, 214 fechados para mercadorias, 50 abertos para mercadorias e 248 vagões de plataforma.

Os visitantes que passavam por Jaraguá do Sul, muitas vezes acabavam dormindo na cidade, o que fez com que hotéis como o Central, Brasil, Wensersky e Becker tivessem um ótimo crescimento.

De 1944 a 1991, a litorina fazia o trajeto Corupá — São Francisco do Sul diariamente em diversos horários, transportando, pessoas, cartas, mercadorias e animais.

Os trilhos entram entre os prédios para chegar ao pátio da estação, que está ao fundo, sem aparecer (Foto Marília – , Rio Grande, RS, em março de 2009)

Hoje em dia, infelizmente não é mais realizado o transporte de passageiros, mas os passeios que aconteceram este mês, trouxeram um pouco da história desse meio de transporte em Jaraguá do Sul.Estado atual da estação de trem de Jaraguá do Sul | Foto Setorial Nacional de Transportes

Fontes

7 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s