Moedas da Companhia das Índias Ocidentais no Brasil Holandês

No lado principal da moeda no alto, temos um dos indicadores de valor (III, VI, XII) e subscrito: o emblema GWC da Companhia Privilegiada das Índias Ocidentais: G (Geoctroyeerde), W (Westindische) e C (Compagnie). No lado secundário da moeda: ANNO (“no ano de”) e BRASILG: “do Brasil”, que é composto por BRASIL + “losango” (G), que significa “iae”. Isto é, Brasiliae (do Brasil); por fim, 1645.

Conheça mais…


A ocupação do Nordeste do Brasil por tropas holandesas da Companhia das Índias Ocidentais estendeu-se de 1630 a 1654; durante este período, por duas vezes, nos anos de 1646 e 1654, foi o Recife sitiado por tropas luso-brasileiras.

Moedas do Brasil - Catálogo
Imagens: Itaú Numismática

Habitavam o reduzido território da capital do Brasil Holandês, um pouco mais de 6.000 habitantes que, por conta do assédio, ficaram sem acesso aos alimentos produzidos na zona rural, o que resultou numa grande fome obrigando a população consumir gatos, cachorros e até ratos. Nesta ocasião, por falta de numerário para o pagamento dos soldados, os Senhores do Alto Conselho determinaram a abertura de “um caixote de ouro que viera da Guiné, e destinado a ser reexportado [para Holanda].

Dele retiram 360 marcos em ouro (2 marcos = 280 florins), e mandaram cunhar “pfenniges” de ouro, de diferentes tamanhos, que representavam valores de três, seis e doze florins. A cunhagem um tanto primitiva das peças de ouro foi obra de um moedeiro holandês: numa face trazia o monograma da W.I.C. e na outra o número do ano.

Na invasão holandesa, as primeiras moedas com o nome Brasil ...
Coins & Currency

A emissão dessas moedas de ouro deu novo crédito ao Governo, perante os comerciantes livres, com cujo auxílio puderam pelo menos ser satisfeitas as exigências dos soldados até o fim do ano de 1645.”

Ducado (Florim) do Brasil. Acervo Itaú Numismática, São Paulo, Museu Herculano Pires. Via: CFNT.

Como a quantia confeccionada de moedas tornou-se diminuta, foi realizada uma nova cunhagem de 359 marcos em ouro, seguindo-se de outra, em agosto de 1646, no valor de 405 marcos, o que veio provocar a indignação do Alto Conselho da Companhia com sede em Amsterdã. Foram essas as primeiras moedas produzidas no Brasil, das quais o Instituto Ricardo Brennand possui a coleção completa.

Fonte

  • Livro: SILVA, L. D. “Holandeses em Pernambuco (1630-1654).” Recife: I.R.B, 2005.
  • Autor Roberto Junio Martinasso Ribeiro – página facebook O Brasil Holandês 1630-1654

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s