Famílias Portuguesas

Desde o Descobrimento do Brasil, em 1500 pelo Pedro Álvares Cabral começou o grande fluxo migratório de espanhois, franceses, alemães, japoneses e principalmente portugueses. 

As crecentes correntes migratórias portuguesas deixaram grandes marcas na ancestralidade dos brasileiros. Hoje muitos brasileiros tem algum ancestral em seu sobrenome.

Mapa migratório portugues.

Conheça também…

1500-1700 – Imigração reduzida

Inicialmente os portugueses que chegaram, eram membros de uma elite próspera interessada principalmente em investimentos que gerassem lucros a partir da produção açucareira. Houve também a migração forçada incentivada por Portugal, o degredo(pessoas enviadas para condenação de pena), tinha como objetivo povoar o território, além da chegada de cristãos-novos e ciganos que viam no Brasil a oportunidade de fugir das perseguições religiosas.

Navegadores portugueses além do mar.

1700-1760 – Imigração como forma de sobrevivência

Nessa segunda fase foi à vinda de indivíduos pobres que não tinham trabalho em sua região – Região do Minho. Muitos partiram da Ilha dos Açores para povoar a região Sul do Brasil. Porém, permanece a entrada de portugueses pertencentes as camadas médias e altas da sociedade portuguesa.

Interior dos navios os viajantes tinham uma viagem precária.

1808 – 1817 – Imigração da Família Real Portuguesa

A partir da Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil em 1808, determinou a mudança da Capital de Portugal para o Brasil, na cidade do Rio de Janeiro. Rei D. João VI, assinando vários decretos, entre eles:

  • Abertura dos Portos – permitiu uma maior comercialização do Brasil com outros paises, aumentando significamente a venda dos internos internos no mercado estrangeiro;
  • Criaçao Real Biblioteca e Academia Belas Artes – apoio para novas instituições de apoio academicas de ensino nas areas de Literaturam Artes, Ciências, Medicina e diversos estudos cientificos;
  • Museu Real – maiores múseus de história natural, antropologia da américa latina – serviu no inicio moradia da Familia Real Portuguesa de 1808 à 1821.
  • Teatro São Caetano-  foi palco de variadas apresentações e grandes espetaculos como dramas, recitais, balés, óperas, tragédias, farsas, vaudevilles e musicais.
  • Criação de Ministérios da Guerra e Estrangeiros – principal “arma” de defesa contra Napoleão Bonaparte e auxilio a vinda de portugueses;
  • Criação de Conselhos: Estado, Fazenda, Supremo Militar, Arquivo Militar, Comércio, Agricultura Fabricas e Navegação;
  • Administração Geral dos Correios – prestação de contas com a sociedade portuguesa com os gastos da conta pública;
  • Criação do Banco do Brasil – criação da moeda nacional e intensificação do valor da moeda no mercado.

Neste periodo estima-se que mais de 10.000 portugueses imigraram ao Brasil. O país começou a ser “visto” pelos paises vizinhos como uma “boa opção” de uma nova moradia – um novo recomeço. Devemos considerar que neste período a Europa estava sofrendo nas mãos de Rei Napoleão, a fome, guerras e desejo de uma vida, tinha o Brasil como opção mais acessivel graças ao Rei D. João VI de Portugal .

Fuga da Família Real para o Brasil em 1808.

1851-1930 – Imigração de massa

Em meados do século XIX uma série de mudanças ocorridas em Portugal provou uma alteração no perfil do imigrante português. Dentre elas podemos destacar um aumento da taxa de crescimento da população portuguesa; excedente de mão-de-obra no campo devido a mecanização agrícola e o empobrecimento dos pequenos proprietários rurais. Os portugueses que aqui chegavam eram, portanto, de origem pobre. Destaca-se a grande quantidade de mulheres e crianças órfãs, abandonadas e pobres.

1960-1991 – Imigração de declínio

Década de 1930 fatores como desenvolvimento industrial português, envelhecimento da população, política no Brasil de proteção ao mercado de trabalho nacional e suspensão de viagens atlânticas durante a Segunda Guerra Mundial, explicam a redução do fluxo migratório português. Porém no final da década de 1960 e início da de 1970, os movimentos migratórios lusitanos dão uma retomada principalmente pelos conflitos na política interna portuguesa e o momento de “milagre econômico” vivenciado no Brasil.

Chegada de imigrantes portugueses no Porto de Santos-Brasil.

Dados IBGE

Dados IBGE em 1991 – Imigração Portuguesa ao Brasil.

Sobrenomes mais comuns

A origem dos sobrenomes podem ter o significado da “Localidade/ Região de Portugal”, nomes derivados de pessoas ou linhagens nobres de Portugal.

Brasão de armas de Portugal .
  • Castro – sobrenome teve origem em uma das mais nobres linhagens de Portugal;
  • Correia – alguns historiadores indicam os primeiros registros do sobrenome Correia são do século XII, na cidade de Braga;
  • Cunha – primeiros registros do século XIII, o sobrenome pode ser surgido da Quinta de Cunha Velha;
  • Domingues – primeiros registros da família Domingues foi no Alentejo e também em Chaves, norte do país. A família teve nomes importantes ligados a Santa Inquisição;
  • Fonseca – sobrenome da regiãa de Portugal – na região de Lamego;
  • Silva – se originou a partir do latim silva, que significa “floresta”, “mata” ou “selva”. 

Lista de Famílias Portuguesas

Famílias Portuguesas pesquisas até o momento são da cidade de São Francisco do Sul e regiões de Santa Catarina. 

Fontes

  • Fonte: Livro “As origens dos Apelidos das Famílias Portuguesas”, de Manuel de Sousa.

1 Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s